POEMA – canção de cisne

O estúdio de gravação foi um lugar de Encontro – de letras, melodias, instrumentos, gestos e pessoas. Esta narrativa, erguida unicamente a partir das imagens captadas nos momentos de gravação, procura juntar todos os artistas que por ali passaram e que, durante aquela semana, habitaram as grandes e as pequenas salas. Por vezes separados por um vidro, mas sempre juntos. O estúdio de gravação intensificou o sentido de pertença. O estúdio foi também o lugar de encontro de muitas músicas que ali chegaram ainda em potência, vindas diretamente das sessões de criação no território, sem espaço para ensaios ou repetições e, apenas ali, ganharam uma forma final, como uma revelação que arrepia. O estúdio foi o lugar mágico do encontro criativo, permitiu a expressão do tempo real da presença e de todas as suas possibilidades, gerando momentos únicos ao vivo. Escolhemos assumir, sublinhar e integrar a enorme beleza das vozes em cru, em descoberta e exploração.

 

música POEMA – Canção de Cisne

congas: Vítor Huguinho e Zé Carlinhos / unhas: Shirley / guitarra: Vítor Hugo / vozes: Vítor Hugo e Sulamita / diseur: António Poppe / poema: a partir de canção de Luís Vaz de Camões e do poema “Ibra Galissa” de António Poppe

 

participantes no videoclipe

Adinho, Adonai, Alice, Ana Rita, André, Bárbara, Beatriz, Bebiana, Beto, Elias, Eltynha, Gil, Inês, Ivana, Joabe, Kelly, Lara, Leticia, Leticia Maia, Levi, Maísa, Mara, Margarida, Maria, Mendrinho, Moisés, Natália, Poppe, Raissa, Ricardinho, Ruizinho, Samuel, Santiago, Shirley, Stefan, Sulamita, Tiago, Vitor Hugo, Vitor Huguinho, Yara e Zé Carlinhos.

 

local de filmagem

ARDA Recorders / Campanhã, Porto

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Shopping Cart